Tudo e Todos estão Online

Pode-se afirmar que o mundo passou por uma revolução digital nas últimas décadas, capaz de mudar os hábitos de consumo e produção da informação como nunca antes vistos. Até a acessibilidade da internet, o conteúdo tanto jornalístico como de entretenimento provinha de veículos tradicionais de comunicação, como as revistas, jornais, rádios e televisão. A sociedade precisava esperar que as publicações impressas fossem lançadas ou que determinado programa fosse ao ar para poder consumir a informação. Nessa época, não muito distante, havia pouca ou quase nenhuma interação entre os veículos que produziam a informação e os seus consumidores.

A era digital trouxe a informação imediata e a possibilidade de qualquer cidadão poder ser uma fonte de produção de conteúdo. Os números não deixam mentir. De acordo com os dados levantados pelos autores Bradley e Bartlett, em 2011 os números do mundo digital girava em quinhentos milhões de perfis no Facebook, 70 milhões de blogs, mais de 1 bilhão de usuários de e-mail em todo o mundo, 1.000 visualizações de página por segundo na Wikipédia, e mais de 100 milhões de vídeos por dia assistidos no YouTube. Nesse atual cenário, qualquer usuário poderia se tornar um criados, distribuidor, consumidor e gerenciador de conteúdo (seja ele foto, imagem, texto ou vídeo) e esse chegar a milhares de pessoas em todo o mundo em questão de horas.

A indústria da mídia precisou aprender a se reinventar. As gravadoras já não faturavam, como antes, com a venda de CDs, as emissoras de rádio e televisão, começaram a oferecer sua programação online, jornais e revistas abriram espaço em seus portais para distribuição gratuita de boa parte de seus conteúdos. E pode-se destinar grande parte dessa mudança cultural à mobilidade oferecida pelos notebooks, tablets e, principalmente, pelos smartphones. E claro, uma das grandes impulsionadoras dessa mobilidade foram as tecnologias sem fio, que ganhou ascensão comercial ainda nos anos 80.

O Marketing não ficou para trás e resolveu aproveitar a onda da conectividade e se reinventar para poder estabelecer uma conexão entre as marcas e os consumidores. Por exemplo empresas como, Coca-Cola, Starbucks, Disney e Apple receberam algumas das maiores atenções conforme medição das visitações de página do Facebook. Elas criaram diversas ferramentas para poder interagir e reforçar sua marca entre os consumidores. Descobriu-se a força do efeitos viral e praticamente todas as campanhas de marketing digital eram pensadas de forma que seu conteúdo se tornasse um viral, chegando organicamente a um maior número de usuários.

Cada vez mais as pessoas ficavam mais tempo online, fruto de uma maior disponibilidade de dispositivos móveis e o surgimento das redes sociais. Ambiente virtual onde praticamente todos os seus amigos e conhecidos também estavam. As redes sociais ganharam espaço, se tornando uma mídia influente e poderosa. Não é mais apenas um local para o compartilhamento de momentos da vida pessoal. Essa plataforma digital é capaz de influenciar decisões, escolhas, compras, impulsionar carreiras e captar recursos.

A ofertas de comunidades online não pararam de crescer e ser segmentadas por nichos. Quem quer encontrar amigos; facebook, admiradores de boas fotos; instagram, preocupados com a carreira; Linkedin, se informar sobre fatos e notícias Twitter e tantas outras mais. Os blogs também ofereciam uma numerosa oferta de conteúdo especializando geralmente em um tema específico.  E assim, surgiu uma nova profissão, primeiramente denominada de blogueiro e mais tarde a expressão foi aperfeiçoada para influenciador digital. Profissão almejada pela grande maioria dos jovens.

A maioria do conteúdo produzido por esses meios estão focados no entretenimento. Jovens e adultos passam cada vez mais tempo conectados assistindo a pequenos vídeos, compartilhando fotos e ou realizando pesquisas que vão gerar compras online. O e-comerce possibilita uma maior facilidade para o consumidor, que pode pesquisar produtos e fornecedores, comparar preços e obter ofertas especiais de grandes varejistas ao realizar a compra pelo ambiente virtual.

Em resumo, a tecnologia, o marketing digital e as inúmeras plataformas revolucionaram os hábitos da sociedade moderna. As pessoas ganharam poder na era digital. Hoje tudo e todos estão conectados.

 

REFERÊNCIA: BRADLEY Stephen P.; BARTLETT Nancy. Tudo e Todos estão Online. Estudo de caso Harvard Bussiness School, 2011. 27p